sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Observando e aprendendo.

Este post é sobre a importância de aprender com os animais e com a natureza como sermos seres melhores neste mundo. É sobre aprender inocência, sinceridade, amizade e amor.

O texto é do meu amigo (e cunhado) Diogo Itália, que teve a sensibilidade de enxergar numa situação considerada simples, uma verdade que sempre parece muito difícil a todos nós.



"Outro dia, enquanto tirava uns minutinhos pra relaxar, deitado no chão da sala de casa, me occorreu a seguinte idéia que agora compartilho. 
Havia alguns dias que reparava que a “Polaca”, com certa frequência, vinha dando atenção especial à uma de suas patas. Ela ficava lá, lambendo-a. Lambia por um longo período. Depois, levantava e ia cuidar das suas coisas. Fazer o que cachorro faz. Conhecendo-a do jeito que a conheço, sabia que possivelmente poderia ter algum “machucadinho” incomodando-a. 
Pois bem, o fato é que enquanto estava alí, “dando um relazxx”, a Rebeca se aproximou, fez o rodopio caracteristíco dos caninos e por fim deitou-se ao meu lado. Fiz um carinho nela, chequei a situação do pêlo, das pulgas, e por fim o teste pra saber se já havia chegado a hora do próximo banho! O teste é bem simples, basta sortear uma das patas, dar um “cheiro”, e por fim avaliar a quantas anda o tradicional odor de “Cheetos” que naquelas partes se acumulam,indicando a quantas anda o quesito higiene do “Ser”. Esse é o teste! Simples! Eficaz! Só que desta vez, logo de cara, acabei esquecendo da análise odorífera. Ao escolher uma das patas notei que se tratava da pata que ela vinha lambendo havia tempinho. 
Olhei! Lá estava ele! Um machucadinho!! Bem embaixo da unha! Machucadinho desses que cachorro faz quando se empolga nas suas estrepolias e só se dá conta quando a situação se acalma. Coisa pouca, mesmo assim a incomodava. Porra! Machucado embaixo da unha é foda! Quem já teve sabe. Incomoda pra tudo! Os pêlos ao redor todos molhados denunciavam uma recente sessão de lambidas, além de, potencializar o bendito cheiro de Cheetos que a essas horas já saturava meu nariz à medida que me esforçava para um exame mais minucioso!! Bahhh!!! A “Polaca” ficou um tanto quanto apreensiva de cara, mas logo relaxou, confiando a mim a pata em questão.
Olhei por alguns segundos. Suspeita confirmada. Nada grave. Soltei-a rapidamente, pois não queria abusar da confiança a mim depositada. Quem conhece cachorro sabe a cara de “cú” que eles fazem quando são contidos!!! 
Neste instante, enquanto desviava minha atenção afim de trocar o som que estava rolando, senti algo encostar na minha mão. De leve! Olhei novamente pra “Beca”. Lá estava ela, deitada de lado no tapete, com aquela cara linda que cachorro olha pra gente quando quer carinho, e pra minha surpresa, me oferecendo novamente a pata! Ahhhhhh! Sorri, peguei-a com todo cuidado, e fiquei lá, acariciando-a. Ela, sutilmente fechara os olhinhos. Lá ia Beca!! Adentrando o bardo dos sonhos!! Respiração tranquila! Cara de quem sonha!!!
Foi aí que me ocorreu o seguinte: quantas vezes tentando agir nesse mundo da forma que julgamos a mais correta, almejando alcançar a felicidade, tentando nos livrar de nossos sofrimentos e angústias, não acabamos também com nossas “patas” machucadas? E mais, quem de nós após sofrer as avarias que a vida proporciona, consegue expor seus “machucadinhos” a outrem? 
É importante que consigamos compreender que expor nossos machucados faz parte do processo de cura. É importante que consigamos localizar onde dói. É importante que tenhamos a quem mostrar nossos machucados. Do outro lado, é nobre poder ser quem cuida dos machucados de alguém. 
O remédio está em nossas mãos. O remédio é o Amor. 
Assim seguimos!
Cuidando uns dos outros. Curando uns aos outros. 
Respiração tranquila!! 
Cara de quem sonha!"




É isso!

8 comentários:

Sandro Ataliba disse...

Felizes são os que conseguem aprender com os pequenos detalhes da vida, e não precisam sofrer com grandes obstáculos.
Amo!

Dja disse...

Oie lindona.


Que lindo texto e verdadeiro.

Beijos querida, ótimo fim de semana

CARLA STOPA disse...

Cara de quem sonha...É a carinha deles mesmo...Saudades daqui.

Ricardo Miñana disse...

Esa mira está llena de ternura, sin rencores y de lo mas noble.
si te gusta la poesía te invito a mi nuevo espacio.
feliz fin de semana.

Luna Sanchez disse...

Pra além dos cães, que estão longe de me agradar, gostei imenso do texto, Thaís!

Tocante, muito bonito.

Beijos.

Quel disse...

Oi Thais!

Que texto lindo. Eu estava mesmo querendo ler alguma coisa assim, pra acalmar a alma.

Mas existem uns machucados, que, enquanto estao abertos, parece que nao existe amor que cure... Eu to impaciente com isso...¬¬


Beijo!

Flávia Shiroma disse...

Thaís, dificilmente algo consegue me tocar assim. Acho que o fato de ter dois gatos em casa e amá-los com todas as minhas forças contribuíram para que eu me permitisse ser tocada no coração.

Parabéns ao Diogo pela sensibilidade, ainda mais por vir de um homem!! rs
Geralmente, as mulheres são mais atentas a isso, sempre param para pensar e analisar tudo! rs

Ao mesmo tempo que lia, imaginava a mesma situação comigo e meu gato, o Robinho, que é o mais levado e o que mais chega em casa com as unhas esfoladas!!!

Gostei muito de ler essa reflexão. Foi um presente.

Anônimo disse...

Gostei muito de ler isso.
Mas a foto e que me deixa triste por que acabei de dar minha cachorrinha que era do mesmo jeitinho