domingo, 14 de agosto de 2011

Um brinde a quem fabrica os pais!

No dia dos pais, nada mais justo do que falar sobre a mulher, já que sem a mulher, não existiriam bons maridos, bons pais ou bons filhos. Seriam todos uns filhos da puta, com o perdão da palavra... rs

"A mulher é uma substância tal, que, por mais que a estudes, sempre encontrarás nela alguma coisa totalmente nova." (Léon Tolstoi)
A mulher que já foi tão maltratada, subjugada, coisificada. Ou escolhia ser Amélia, ou escolhia ser da vida. E nas duas situações estava a mercê dos homens.
Pois bem, o tempo passou e a mulher conquistou a sua independência. Trabalha como os homens, batalha como os homens, sustenta a casa como os homens. E suporta isso tudo, com mais uma, duas ou três jornadas, sem pedir massagem no pé ou dizer que está muito cansada. Tudo bem, concordo que algumas mulheres passaram a se espelhar tanto nos homens que ficaram safadas, traem, machucam, deixam seus filhos para outra pessoa cuidar... mas isso é porque há este pequeno grupo de mulheres que tentam ser homens, e não mulheres independentes.

"Cem homens podem formar um acampamento, mas é preciso uma mulher para se fazer um lar."
Não estou aqui para ser feminista, ao contrário, sou geralmente machista. E nem para falar mal dos homens, que nem precisam que alguém denigra sua imagem. Estou aqui para falar da beleza do que é ser mulher, do que é fabricar homens. E quando digo fabricar, é muito mais do que gerar uma vida. A mulher é responsável pelo LAR.

"Sei, que o vento que entortou a flor; Passou também por nosso lar; E foi você quem desviou; Com golpes de pincel" (Los Hermanos)
É a mulher que dá o suporte necessário dentro de um lar para que a estrutura se mantenha, haja o que houver, venha o que vier. Para começar, é a mulher que cuida do marido, que se dispõe sempre a mudar de cidade, de casa, de vida, tudo para se ajustar a um sonho à dois. Na grande maioria das vezes é a mulher que tem a capacidade de fazer este papel, de colocar a vida em comum acima de seus interesses individuais. E é a mulher que luta com toda força e toda garra para tornar realidade cada um dos sonhos, é a mulher que cuida do marido, escuta, orienta, atura, ama. A mãe ensina um homem a ser homem, mas é uma esposa que ensina um homem a ser marido e a ser pai. É a mulher que nasce preparada para as atribulações da convivência, que tem paciência para ensinar fingindo que não ensina. É a mulher que dá ao homem seus filhos, e que além de cuidar deles com amor e dedicação, ensina o marido a ser pai. Cuidadosamente ela ensina o homem a segurar, embalar, cuidar, amar o filho que para ela está desde sempre nas suas entranhas, mas para ele precisa ser apresentado, introduzido. É a mulher que dá ao homem todas as oportunidades de exercer autoridade, paternidade, afeto com seus filhos, a cada vez que pede seu suporte, que apela para a sua sabedoria, e que ensina a ele a ensinar os filhos. É a mulher que jamais dá as costas para o seu lar, ainda que o homem o faça, e ainda que seu lar não conte mais com ele, e faz o papel inteiro para os filhos, e para si mesma. E tenta orientar e educar seus filhos a nunca fazerem os seus passarem por isso. É a mulher que entende o valor que a família tem. E faz tudo isso se mantendo linda pela ditadura da beleza, profissional multifacetada pela ditadura da Era Digital e bem-sucedida pela ditadura da sociedade.

"Sou uma mulher madura; Que às vezes anda de balanço; Sou uma criança insegura; Que às vezes usa salto alto; Sou uma mulher que balança; Sou uma criança que atura" (Martha Medeiros)
E isso acontece porque a mulher ama o amor. E é isso que ela quer, e é isso que ela vive plenamente. Uma mulher só é feliz com amor. Uma mulher batalha isso tudo porque acredita no amor. Em todas as suas faces, em todas as suas artes, a mulher quer simplesmente amar.

Por isso desejo sim um Feliz dia dos pais, mas somente àqueles pais que como filhos valorizaram as suas mães (pelo menos agora), que como maridos valorizaram todo o esforço e carinho da mulher ao seu lado (mesmo que agora já seja tarde demais) e para todos os pais que de fato vivenciam o que é ser um pai de verdade (o que é muito difícil acontecer quando se pula as outras duas etapas).

É isso.

9 comentários:

Sandro Ataliba disse...

Eu mereço feliz dia dos pais?
Amo!

Gisley Scott disse...

Só tenho uma coisa a dizer: que texto bem amarrado, articulado e explanado.

Gostei muito da sua visão sobre a mulher.Ela é isso que vc falou e muito mais e qdo a mulher tenta ser homem, ela acabando matando aquilo que nasceu pra ser: bela aos olhos dos outros e de Deus.

A descrição da mulher em Provérbios 31 é uma das mais lindas que já li.

O coração do seu marido confia nela, e não lhe haverá falta de lucro.
Ela lhe faz bem, e não mal, todos os dias da sua vida [Provérbios 31:11-12]



A força e a dignidade são os seus vestidos; e ri-se do tempo vindouro.Abre a sua boca com sabedoria, e o ensino da benevolência está na sua língua.Olha pelo governo de sua casa, e não come o pão da preguiça.[Prov 31:25-27]

Levantam-se seus filhos, e lhe chamam bem-aventurada, como também seu marido, que a louva, dizendo:
Muitas mulheres têm procedido virtuosamente, mas tu a todas sobrepujas.


Essa mulher está em extinção. Ah se somente as mulheres soubessem o poder que têm!Poderiam usar para tantas coisas boas e poderiam ter seus filhos e maridos na palma da suas mãos[no bom sentido].

Não importam o que digam, eu acredito nessa mulher,vi a força dela de perto e quero ser uma delas.

Bjos!

Camila Hame. disse...

Um feliz dia dos pais, aos pais de verdade. Aqueles que dão amor e valores.

http://www.papel40kg.com/

Paula Li disse...

Oi taís, que texto mais lindo. Eu não conheci minha sogra, mas todos são unânimes em afirmar o quanto meu marido foi um filho zeloso, mesmo sem ser o preferido e como ele cuidou dela em sua doença, dando banho, penteado seus cabelos e carregando no colo. Eu mesmo ser tem visto sei que é verdade, pois ele é um pai e marido maravilhoso, ao contrário do irmão, que deixou muito a desejar com a mãe e consequentemente com a esposa.
Um grande beijo.

Flávia Shiroma disse...

Que original falar da mulher com tanta sensibilidade no Dia dos Homens Pais!

Fiquei arrepiada com esta frase Tatá: '...A mãe ensina um homem a ser homem, mas é uma esposa que ensina um homem a ser marido e a ser pai....'

Em determinada parte do seu texto você escreveu que é a mulher quem acaba abrindo mão das coisas para manter o lar. E essas palavras caíram como uma luva pra mim.

Mesmo não sendo mãe, só mulher, eu notei que ultimamente sou eu quem está abrindo mão de muitas coisas em nome de uma convivência harmoniosa. Infelizmente não dá para ser mais explícita aqui, mas queria que você soubesse que esse post foi muito importante pra mim.

Um beijo querida.

Almir Ferreira disse...

Poxa Thaís, por um momento eu tive que olhar de novo o calendário para ver se não era 8 de março... rsrs

Ainda bem que láááá no finalzinho do texto você falou dos pais, mas ainda por cima com a ressalva: "somente àqueles pais que como filhos valorizaram as suas mães e que como maridos valorizaram todo o esforço e carinho da mulher ao seu lado.

Fico imaginando como será no Dia Internacional da Mulher... rsrsrs

Grande beijo
Almir Ferreira
Rama na Vimana

Thaís Alves disse...

Oi Almir,

acho que no dia das mulheres eu não cheguei nem perto de fazer uma homenagem tão legal...rs

Na verdade, o fato de fazer questão de ter postado sobre isso não tem a ver com feminismo ou machismo, mas sim com uma realidade da nossa sociedade ainda machista. Acontece que os pais de verdade ainda são muito poucos. Antigamente os casamentos não se desfaziam como hoje, mas a figura paterna era em geral distante e sem envolvimento profundo com a educação de seus filhos. E hoje, com os casamentos se desfazendo (o que não deveria ter nada a ver com o ofício de ser pai), a maioria dos homens se esquece que ser pai é muito mais do que depositar na conta a pensão alimentícia miserável que a mãe das crianças consegue na justiça. Ser pai é não deixar de se envolver, de se preocupar, de participar, de dialogar com os filhos.

E esta figura paterna está em extinção. Muitas, muitas vezes são as mulheres que acabam por desempenhar o papel de mãe e pai na vida das crianças hoje em dia, e por isso, fiz questão de deixar bem claro que a homenagem é a elas e aos poucos pais de fato, e não só de papel.

Abraços! :)

Thaís Alves disse...

Flavinha,

Fico muito feliz que o texto tenha sido importante para você, certamente ele já alcançou aquilo a que se propôs... valorizar esta batalha silenciosa que a mulher luta todo dia! :)

Um beijo, querida!

Almir Ferreira disse...

Oi Thaís,

É verdade que muitos pais cretinos não merecem ser homenageados nesse dia, mas pegando o exemplo que levantou, dos pais que se separam e deixam de lado os filhos, eu acho que tem sim esse lado, mas também tem um outro nessa história, tão importante quanto, e que não pode ser esquecido: muitos pais se afastam dos filhos, não porque queiram ou porque sejam canalhas, mas porque as mães fazem a cabeça dos filhos contra ele, por vingança ou outra razão qualquer, de tal modo que os próprios filhos não o querem vê-lo mais. Há de se levar em conta esse lado, que não é tão incomum.

Grande abraço, e obrigado pelos comentários sempre bem feitos lá no blog.


Almir Ferreira
Rama na Vimana