quarta-feira, 13 de abril de 2011

Densidade

Tenho tentado diluir a densidade das minhas ideias e sentimentos para escrever aqui sem que o texto seja um tapa na cara de alguém. Por mais que eu esteja sempre disposta a aprender e mudar (nossa, e como eu mudo!), algumas coisas nunca entrarão na minha cabeça e no meu coração.

Eu não aceito este mundo onde um louco pode chegar numa escola e matar criancinhas. Onde dois adolescentes podem chocar uma cidade e marcar para a sempre a vida de menininhos, abusando deles. Fico o tempo inteiro me questionando de onde vem isso, de onde vem esta total falta de valores e de limites.

A verdade é que para mim está tudo misturado. E as coisas mais chocantes também são iniciadas pelas liberdades menos chocantes. Tudo hoje está tão liberado, tão normal.

Primeiro pela internet, que é uma ferramenta maravilhosa, de troca de informação, de contato com amigos que você veria pouco, de pesquisa. Mas já não existe privacidade, as pessoas querem invadir sua vida pessoal, querem saber quem você é, querem te julgar. Algumas pessoas vão adotando conceitos liberais demais e não entendem que há um limite para a liberdade, que há um procedimento que deve ser real para uma intimidade ser criada. Fico pensando em como a carência das pessoas está virando uma doença.

Tem também a liberdade que alguns pais dão para seus filhos hoje, talvez para compensar a ausência.  Alguns pais podem ter a sorte dos filhos não se envolverem com as pessoas erradas e com as atividades erradas, mas fato é que se arriscam demais. Dão liberdade demais, não sabem o que se passa, não acompanham, não vigiam de vez em quando. Porque sim, o papel de pais também passa por isso. É óbvio que deve haver respeito pelo indivíduo que é o filho, mas ao notar algo estranho, o papel de pais exige que seja investigado porque, e que seja punido pelo que for feito de errado. Porque a vida pune, a justiça pune, e é bem melhor aprender em casa os limites. Crianças e adolescentes são seres que precisam de orientação, de rumo.

Eu não sei exatamente de onde vem este caos, creio mesmo que é uma combinação de coisas desagradáveis. Tenho lido muitas notícias e depoimentos arrasadores. As pessoas estão se suicidando mais, jovens estão se afundando em álcool e putaria como se o mundo fosse acabar. Li o post da Paula Li e fiquei chocada em como liberdade e libetinagem se confundem.

Não me considero nenhuma antiquada. Eu vim do teatro, eu bebo, eu não tenho nenhum preconceito. Mas eu tenho valores, princípios. Às vezes vejo pessoas até muito próximas a mim perderem esta noção. Mas, especialmente, esta noção está perdida nesta nova geração, que está com seus 16 a 22 anos. Fico perplexa com o tamanho das atrocidades que vejo, escuto, leio.

Está na hora do mundo se dar conta de que ser diferente é bom, mas que ser diferente demais é ruim. Queria que o mundo voltasse ao lugar comum, em que as crianças brincam na praça, os casais andam de mãos dadas, os adolescentes vivem dilemas comuns como primeira paixão, primeiro beijo. E não este mundo em que adolescentes largam a escola e se tornam traficantes, jogam bola com a cabeça de alguém que mataram e as crianças se jogam no chão com medo de tiroteio. Não este mundo onde as meninas de 15 anos se juntam para aprender como trocar a fralda de seus filhos e não para terem uma "festa do pijama".

Eu sonho com o mundo em que o preconceito se extinguisse e que todo mundo aprendesse a conviver com as diferenças. O mundo que eu quero não é um mundo onde todo mundo é igual, mas um mundo onde todo mundo se respeita, se ama e se valoriza. No mundo que eu quero adolescentes não vão para o hospital em coma alcóolico, porque respeitar e amar também é ensinar o que é certo e errado e que tudo tem seu tempo. Homens e mulheres não viveriam testando suas relações, porque flertar com outra pessoa seria desrespeito, a não ser que fosse algo liberado entre o casal. Homens e mulheres não trairiam porque seriam leais, o que é muito maior que fidelidade.

Este mundo não seria um mundo ideal. Claro que teria sempre aquela pessoa desviada que resolve fazer o mal. O mal faz parte também do ser humano. Mas esta não seria a regra. O que está me assustando hoje é que o errado é que está se tornando o legal.

Sinceramente, se isso é evolução, prefiro viver com os nossos amigos primatas. Socorro!

É isso

7 comentários:

Sandro Ataliba disse...

Este mundo existe, mas definitivamente não é no nosso sistema solar. O ser humano por aqui ainda precisa evoluir muito, ainda está engatinhando, e se acha o todo-poderoso.
Mas, como vários filósofos dizem, um bom começo é cada um fazer sua parte. Para mudar o mundo, é preciso mudar o homem, uma pessoa de cada vez.
♥x!

Jana. disse...

hj eu sofri preconceito por algo que até então eu considerava lindo e que ganhou uma conotação tão triste...
estou magoada agora, nem sei como reagir.
eu tenho meus preconceitos, mas justamente não externizo-os para NUNCA, JAMAIS machucar alguém com a minha visão limitada das coisas.
prefiro sempre absorver.

Arnoldo Pimentel disse...

Oi Thais, muito bom esse seu texto, lendo-o podemos refletir bastante com suas palavras.Parabéns. Vi que você é do Rio, então se puder conheça os blogs dos grupos de poesias que participo aqui na baixada fluminense, o po-de-poesia e o gambiarra profana, nos apresentamos em centro culturais, escolas e etc...

Espero que você goste, o gambiarra tem também poets de outros estados que colaboram no blog e no zine, links abaixo,

gambiarraprofana.blogspot.com

po-de-poesia.blogspot.com

Assim você pode conhecer um pouco mais de nosso trabalho e quem sabe você e seu esposo possam conhecer uma de nossas apresentações.Beijos

Paula Li disse...

Oi Taís, a coisa esta esquisita mesmo. Os pais de antigamente tinham o respeito e amor dos filhos, e por que não o temor, mas no mundo atual os valores se inverteram.
Fico muito triste em ver o que esses jovens tem feito com a própria vida, meninas e meninos se enchendo de filhos, dirigindo alcoolizados e drogado, sem respeito pela vida e pelos semelhantes.
Não pensam em estudar e crescer profissionalmente, só pensam no aqui e no agora. E querem tudo fácil, tudo rápido e sem esforço.
Os país precisam retomar as rédeas da situação e rápido.
Gostei muito de fazer "dobradinha" com você.
Bjs

Long Haired Lady disse...

sabe o que é pior?
concordo com muito do que escrevestes, mas desde que o mundo é mundo, coisas assim acontecem, o ser humano de hoje é o mesmo que ia para o coliseu ver outros serem devorados pelos leões...

Gisley Scott disse...

Thaís,

Gostei muito da frase:

"E as coisas mais chocantes também são iniciadas pelas liberdades menos chocantes."

Quão chocante é o chocante? Quando o chocante passa a ser insano?Eu creio que o nosso mundo está saturado com tantas coisas que nada mais chocam as pessoas.Isso em termos de violência, em termos de valores,em termos de família...Creio que devido essa tal relatividade com tudo e com todos,tudo virou um grande bacanal...Não há um exemplo, não é certo e errado, não há modelo..Engraçado que ninguém compraria uma casa de qualquer jeito ou um carro que não atendesse as devidas demandas do que se esperaria de um carro ou qquer outra propriedade, mas quando se trata de vida e de pessoas tudo é relativo?Pq? Quem compraria uma casa sem muro e sem portas, mesmo que isso "fosse relativo"?

Porque se tudo na vida é relativo, essa afirmação tb se faz relativa.

Quanto ao virtual world, vou com vc...As pessoas não querem ter vida na vida, mas se vc negar um pedido delas nessas redes sociais elas ficam com raiva.Mas pq, meu Deus, se não mantém contato?!

Não entendo..No ano passado eu tb escrevi algo sobre as novas tecnologias, algumas pessoas não gostaram/concordaram pq fui firme na minha posição.. Se vc quiser dar uma conferida, vou deixar o link aqui pra vc dar uma olhada:

Tecnologia: Da inovação à escravidão.


http://vivendolaforanoseua.blogspot.com/2010/06/tecnologia-da-inovacao-escravidao.html#axzz1JWibuiEO


Grande abraço e como sempre, arrasando nos posts!

Ludmila Barbosa disse...

Comentei sobre isso com meu pai esses dias... se estamos evoluindo e "teoricamente" nos tornando mais inteligentes, o mundo não deveria estar melhorando?! Pois é, aparentemente não!!!