sábado, 26 de fevereiro de 2011

Autoanálise - Post para quem não faz terapia!

Após conversar sobre a vida, o ser ou não ser e demais questões filosóficas com meu marido ontem, fiz algumas análises sobre mim mesma, que queria compartilhar com vocês e saber como cada um também se sente a respeito de si neste ponto.

Eu sou uma pessoa intensa, uma pessoa urgente, em todos os campos.

Na vida profissional, por alguns anos pulei de galho em galho, porque em menos de um ano o trabalho já não me oferecia desafio. Trabalhei em lugares que me possibilitaram viajar e fomentaram esta paixão, mas ainda assim, após um tempo, eu não conseguia mais. Começava a ficar chato, eu não tinha mais energia para levantar e ir pro trabalho. A verdade é que na vida profissional esta intensidade sempre me gerou inconstância. Claro que eu só fui perceber o porquê anos mais tarde: eu estava trabalhando na área errada. O dia que eu trabalhar com o que eu gosto, quase todo dia (porque ninguém é de ferro) será dia de levantar para trabalhar com tesão. E é isso que eu preciso, tesão pela vida.

Eu não sou uma pessoa morna. Vejo que minhas amigas sempre esperam ouvir palavras sensatas vindas de mim, mas nunca esperam que eu fique indiferente a nada. Esta sou eu. Eu vivo. Eu vivo 24 horas por dia (porque quando eu durmo, eu sonho...rs). E quando eu não vivo nada (nem dor, nem alegria), geralmente são os momentos em que eu me sinto mais triste.

É assim também na minha vida pessoal. Mas, diferente da minha profissional, isso nunca me gerou inconstância. Minha família é meu alicerce, meus amigos são os mesmos de tantos anos, tenho amigos de infância, tenho amigos de adolescência... não costumo aprofundar relacionamentos com novas amizades muito rápido, mas quando o faço também é amizade pra vida toda. Aprendi que contar com a qualidade de quem está a sua volta é muito melhor do que contar com a quantidade. Existem muitas pessoas legais, divertidas, com boa conversa, mas isso não determina uma amizade. São pessoas que são conhecidas, colegas, companhias eventuais... mas uma amizade é algo muito maior do que isso. E, mais uma vez, atribuo esta maneira de agir à minha intensidade. Não nutro uma amizade que não esteja de fato ligada à minha energia, que eu não possa me fazer presente quando necessário ou ter a pessoa presente quando necessário.

Em relacionamentos também nunca fui inconstante. Em geral, tive relações duradouras (algumas até demais). Mas isso não muda em nada a minha intensidade. Eu vivo intensamente o amor que tenho. Eu me dedico, e exijo dedicação a mim. Eu sou romântica, apaixonada. E quero romance e paixão pra mim, simplesmente porque eu mereço. Já escrevi aqui no blog uma vez que o amor precisa de uma dose de paixão, porque é o que diferencia o amor entre um homem e uma mulher do amor fraternal. Não digo ter a mesma urgência da paixão inicial, é claro, mas é preciso manter acesa um pouco desta chama. E isso já me gerou alguns términos, por não me sentir cultivada da maneira que eu gostaria de ser. Às vezes eu sabia que era amada, mas não era cuidada, não tinha manutenção...rs E simplesmente a minha intensidade em viver não me permite isso, eu vou ficando triste, e ninguém gosta de ficar triste muito tempo, claro.

Eu gosto de viver. Eu gosto de todos estes sentimentos bons que a vida tem pra oferecer. Eu sei que corro riscos a cada vez que dou demais meu coração (não digo só em relacionamentos de amor, mas de amizade também), mas o sentimento vale a pena. Mesmo que de vez em quando a gente sofra muito, mais do que poderia sofrer se não fosse tão intenso, o bom é que também aprende muito, melhora muito e fica pronto para ser muito feliz novamente.

Eu poderia mudar. Poderia tentar ser menos intensa, levar a vidinha normal da maioria das pessoas. Mas eu não posso. Eu não me vejo muito tempo mais trabalhando no que eu trabalho só para garantir dinheiro, não me vejo sendo superficial e simpática para manter a popularidade com meus amigos, não me vejo vivendo um amor que não me faça sentir uma mulher completa (e acho sinceramente que este risco eu não corro, sou muito bem casada!).

Eu quero tudo! Eu mereço tudo! E eu corro atrás de tudo o que eu quero, e por isso o mereço.
Se eu estou estudando para mudar de área, eu mereço mudar de área.
Se eu sou uma amiga dedicada, mereço amigos dedicados.
Se eu faço o meu amor se sentir amado, desejado, cuidado, também mereço me sentir amada, desejada, cuidada.

Será que esta maneira de pensar é errada?

E eu não quero mudar.

Eu quero tudo... e o melhor é que só falta meu novo trabalho: lecionar. Ele vai chegar. Assim como tive que construir o que tenho de bom nas outras áreas, também vou construir devagar mais este degrau.

É isso.

17 comentários:

Paula Li disse...

Oi Taís, concordo contigo, nós merecemos tudo!!!!
Os melhores amores, os melhores amigos, os melhores empregos e tudo de melhor que desejamos.
Também acredito que quem se esforça em conseguir o melhor, vai conseguir ter esta retribuição.
É simples assim. Não adianta apenas querer e não batalhar, mas querer e lutar, faz com que as coisas aconteçam.
Gostei muito da sua reflexão,
bjs

Dayse Sene disse...

Teremos tudo de bom para nós, quando também oferecemos tudo de bom...é a ordem natural das coisas. Essa inquietação de sempre querer mudar, é muito bom, pois viver presa em um determinado emprego, amor, amizade, só para agradar outras pessoas e não a gente não nos faz bem. Essa inquietação nos faz experimentar o novo constantemente. Acredito quem é assim,nunca tem medo de mudanças...e isso é excelente, pois o mundo vive uma constante mudança, até mesmo em um piscar de olhos. Pessoas assim , provavelmente serão mais fortes, carregam mais bagagem de conhecimentos e são mais ousadas, corajosas. Parabéns por ser assim tão inquieta com o que não te faz bem, isso não é para qualquer um.
Eu não sou tão exigente de mim, nem das coisas a minha volta, mas não sou acomodada e muito menos tenho medo do novo. O novo me atrai, gosto de desafios. Gosto de me movimentar e não ficar parada esperando a morte chegar... sou corajosa, só não ansiosa nas minhas conquistas, sei esperar , não muito, mas sei esperar.
Gosto de aprender com as pessoas, gosto de ouvi-las, gosto de doar carinhos, gosto da sinceridade, gosto de gostar do ser humano, mesmo com suas complicações.
Gosto de me sentir amada, e quem não gosta não é mesmo?
Mas sei também recuar, quando alguém não me quer, me despreza e ou me desvaloriza...não gosto de me anular.
Pessoas assim, inquietas e ou não tão inquietas, como eu, mas que sabe ir atrás do melhor para a alma, têm muitas chances de serem bem queridas, por que gostamos de movimento, não guardamos sentimentos negativos por muito tempo não.
Uma tarde, quase noite, linda para você minha amiga, Thaís.
Saudades.

Cadinho RoCo disse...

A força do pensamento positivo estimula nossa disposição para enfrentar desafios que surgem sempre.
Cadinho RoCo

Sandro Ataliba disse...

Por isso nos damos tão bem. Eu te equilibro, você me desequilibra. rs
♥x!

Jão disse...

Nós temos uma unica obrigação, viver bem. E para isso precisamos do melhor que agente puder ter em relação a tudo. Este é o caminho.

Beijos!

Paulo Braccini disse...

O segredo do bem viver está na simplicidade ... se descomplicamos as coisas a vida fica mais leve ...

Obrigado pelo carinho da visita

bjux

;-)

Quel disse...

Se voce sabe que é assim, se gosta, se sabe que é isso mesmo que voce quer e corre atrás, está totalemente CERTA em pensar assim. Rs!

Eu as vezes penso que o mais dificil é saber o que querer da vida - e como consegui-lo.

Mas a vida vai ensinando e sinalizando. Basta querer ver né? E pelo visto vc ja viu!

Muitos professores numa mesma familia! rs! Boa sorte nessa nova jornada!

Abs!

Fred Caju disse...

Gostei daqui, fênixes dando uma idéia de reconstrução sempre (...ou não).

CARLA STOPA disse...

Intensidade...E uso e abuse dos meus versos...Será um grande prazer...Abraço amigo...

George Nunes Bueno disse...

Otimismo é meu sobrenome!
E acho que ele está aí pelo seu também!
Parabéns pela análise e pelo texto bem "desenrolado"...! É preciso coragem para se conhecer!
E desculpe se não posso comentar tanto assim no seu Blog como comenta nas minhas poesias! Mas sempre que posso passarei aqui sim!
Beijos

Dave disse...

Refletir e fazer auto análises, desde que sejam conscientes e sensatas sempre nos trará bons frutos.

Valeu pela visita. Volte mais vezes!

Beijo.

Fernand's disse...

se alguém pensa que é errado, o que o certo, afinal???


intensidade é um dos sobrenomes de uma mulher de verdade!



=)
bjsmeus

Ludmila Barbosa disse...

Antes de mais nada, fico muito feliz que você tenha gostado do meu blog e que loucura o post do Vinícius, muita coincidência. Agora preciso dizer que sou exatamente como você, mas já fui muito diferente por anos, até que aprendi que a vida tem que ser vivida e ponto, esse pensamento me mudou completamente, hoje sou uma pessoa que meus amigos e familiares caracterizam como alguém de caráter forte. E creio que lecionar é o tipo de trabalho que se encaixa perfeitamente em pessoas como você, porque nunca é o mesmo trabalho repetido todos os dias, cada dia é diferente, assim como o meu trabalho (sou enfermeira chefe), cada dia é uma rotina louca e completamente diferente do dia anterior. Enfim, é isso, fico muito feliz mesmo pela sua visita em meu blog e de seu marido também. Um grande abraço!!!

CARLA STOPA disse...

Voltei para agradecer seu carinho e sua cumplicidade...Grande abraço, Thaís...

Jana. disse...

Kerouac disse: tudoaomesmotempoagora!
Seu txt me lembrou isso.
:)

Flávia - Compartilhando Idéias... disse...

Taí gostei muito de "ler você" assim tão de coração aberto. Você escreve como se estivéssemos conversando e isso é muito gostoso, a leitura se torna muito agradável.

Incrível como me identifiquei com você nos pontos que colocou, principalmente na questão profissional.

Também gostei desta frase: "Às vezes eu sabia que era amada, mas não era cuidada, não tinha manutenção..."
Acho bacana descobrir, em meio aos seus textos, termos que nomeiam sensações que tenho e que, muitas vezes, não sabia como expressar ou classificar. Essa da "manutenção" foi ótima. rs

A cada dia que leio seus posts, sinto uma vontade muito grande de me tornar sua amiga de verdade, daquelas que a gente telefona, visita e divide os momentos bons e ruins da vida.

Tomara que um dia isso aconteça. E se não fosse pela blogosfera, talvez nunca nos conheceríamos. Por isso fiz questão de comemorar o segundo ano do meu blog. Ele me leva ao encontro de pessoas fantásticas. Poucas e boas amizades.

Um beijo querida.
Fique com Deus.

Flávia - Compartilhando Idéias... disse...

Amiga, você poderia me passar seu e-mail? O meu é flaviashiroma@vspjapan.com
:)