sábado, 7 de janeiro de 2012

Apenas uma pílula!

Sabem o que é engraçado e irônico? Uma coisa que de vez em quando tenho visto por aí.

Pessoas que discursam admirar a liberdade de opinião, que procuram compulsoriamente argumentar com pessoas de opinião bem fundamentada e forte, mas que na verdade não suportam quando alguém é direto e objetivo, franco. Então a liberdade de opinião só é válida se for dita cheia de floreios e artifícios que falseiam a verdadeira intenção por trás?

Eu acho que eu não posso participar disso. Claro que ser franco e direto não quer dizer ser ofensivo, isso jamais. Mas fazer rodeios e usar falsetes sociais, além de não passar diretamente uma mensagem, não expõe à pessoa alvo da discussão à reflexão sincera sobre o assunto, ao aprendizado, e muito menos estimula a discussão saudável que só instrui mais e mais aqueles que forem envolvidos na discussão.

Talvez seja por isso que cada vez menos pessoas são capazes de ter uma boa argumentação. A política da boa vizinhança sendo confundida com a política da vizinhança que só fala por trás. Então as pessoas não debatem francamente, não desenvolvem ideias, e ficam cada vez mais alienadas.

Quando eu não concordo com alguma coisa, simplesmente falo diretamente que não concordo e exponho os meus motivos. Então, não espere que eu faça um discurso lindinho sobre como acho que você está certo para depois falar que na verdade não está, mas sem você perceber. Eu digo com todas as letras e espero a resposta com todas a letras, para que possa talvez mudar a minha opinião, me levar à novas reflexões, ou até mesmo não servir para nada. Mas, ao menos, tenho opções.

Mais uma armadilha das teias sociais. Cada vez imitando mais a vida real.

Se você não pode com isso, por favor não entre na minha rede. Porque eu não vou cair na sua teia!

É isso.

4 comentários:

Gisley Scott disse...

Querida, aqui está cheio de gente assim. Sinceramente eu acho um atraso e uma perda de tempo emocional, relacional.Pra quê esse joguinho todo?É amigo ou não é? Quer saber o que eu penso ou não?

Acho que quanto mais o tempo passa, menos eu tenho paciência pra esse tipo de coisa. Sou como vc, digo o que penso[lógico sem ser ofensiva] e quando a pessoa olha pra mim como que não gostou, eu digo sem medo de ser feliz: EU ENTENDI QUE VC ME PERGUNTOU O QUE EU ACHAVA DISSO OU DAQUILO. ENTENDI ERRADO?

A política do Sul dos EUA é que é mais fácil atrair abelhas com mel, mas quem disse que só é abelha que gosta de mel? Gente que não vale nada dá maior valor a um melzinho tb!

Amigos, não tenho muito mas os que tenho eu sei que me aceitam e me amam pelo que eu sou.

Bjos!

ótimo post.

Rê Lopes disse...

Falou e disse pelucinha!
Eu confesso que tenho um pouco de dificuldade em ser direta, pois tenho medo de ser rude. Mas isso não significa falsidade, é realmente um medo de incomodar alguém com as minhas palavras, quando na verdade tem horas que seria melhor ir direto ao ponto do que usar rodeios. Coisas que a vida ainda vai me ensinar, rs! Beijos!

Ricardo Miñana disse...

Hermoso espacio, es grato leerte.
feliz semana.
un abrazo.

Flávia disse...

Em primeiro lugar, parabéns pelo blog. Rico e muito bem escrito.

Em segundo, acabei achando seu espaço através da Samara Bassi, do blog "Vou te Contar", mas por um motivo triste: um texto de minha autoria que encontrei plagiado por ela, como você pode conferir comparando a postagem "Bem da Vida" (http://shimariah.blogspot.com/2011/03/bem-da-vida.html) com meu texto "Caminho", em http://sabe-de-uma-coisa.blogspot.com/2008/06/bailarina.html. Vim te contar a verdade por ter percebido, nos comentários, que você foi uma das pessoas enganadas por ela. E para que fique atenta para essas infelicidades que acontecem e que, infelizmente, não poupam ninguém.

Meu abraço.