sábado, 16 de outubro de 2010

Desvendando Mistérios - Caso 1

Resolvi fazer uma série. Não quer dizer que vou postar seguidamente sobre a série, mas sempre que eu perceber que desvendei um mistério ou desmistifiquei um conceito, postarei aqui!

O assunto de hoje é FELICIDADE PLENA. Li diversos textos sobre o assunto. Muitos garantiam que a felicidade plena não existe, que felicidade é um estado de espírito momentâneo. Outros me garantiram que a felicidade plena está no amor. E há, ainda, aqueles que acreditam que a felicidade plena consiste na fé e só pode ser alcançada em Cristo.

Ai, estão todos errados! Ou estão todos certos! Felicidade plena é sentir-se preenchido de felicidade. Alguns realmente não alcançarão isso nunca na vida e se contentarão com momentos felizes. Outros viverão em busca de um amor que preencha este espaço. Em alguns casos, encontrarão, em outros, irão sufocar todos os seus relacionamentos, exigindo de alguém coisas que nunca poderão receber. Há, ainda, aqueles que, na falta de esperança e perspectiva, se agarrarão na fé a na religião como tábua de salvação. O bonito é que há quem realmente consiga encontrar felicidade neste caminho. Mas há quem não consiga e se torne uma pessoa crítica e amarga.

A verdade que eu desvendei, o que não significa que seja a verdade absoluta, é que nada disso traz a tão sonhada felicidade plena. Ela é construída em cada erro do caminho, em cada amor mal acabado, em cada decisão tomada, em cada amigo conquistado, em cada amigo perdido, em cada sorriso e em cada choro. A felicidade plena está sempre lá, esperando ser achada no meio disso tudo. Ela está dentro da gente, esperando a gente se conhecer o suficiente para se bastar, se esvaziar, para encontrá-la e se preencher dela, que estava ali o tempo todo, esperando ser aceita.

E, aí, você é feliz sozinho. Sozinho, que eu digo, não é não precisando de ninguém. Todo mundo quer amigos, todo mundo quer um amor, todos queremos esperança. Mas a felicidade plena é quando, na ausência de qualquer um deste itens, ainda sim, você vive bem, feliz. Aí, todo o resto que acontece é complemento da sua felicidade. E como é mais leve a felicidade quando você não precisa cobrá-la de ninguém!

É isso.

6 comentários:

Sandro Ataliba disse...

Eu era um dos que pensava que felicidade plena não existia. PENSAVA. Hoje eu sei que existe. E é bem por aí: só a reconheci quando realmente estava bem comigo mesmo, completo. Aí, você apareceu, e eu não precisava de você. Nem você de mim. Acho que, exatamente por isso, somos tão felizes.

Flávio Morgado disse...

Confesso que essa idéia de felicidade plena me pareça muito utópica, mas há uma certa razão. Felicidade, pra mim, é algo que se apreende por ser esporádico. Só que tem um coisa: a vida é uma invenção danada, se a pessoa vê poesia em tudo, pode também ver felicidade em tudo (embora não ache caminho mais saudável).
Bacana a discussão. E acompanharei a série.
Beijos.

F.M.

Salamandha disse...

Felicidade plena não significa a ausência de problemas, de opiniões contrárias... mas sim, buscar e encontrar sem medo as soluções sem abalar sua prioridade, o que te faz realmente feliz.
Diferenciado de um ser alienado, vendo poesia em tudo, mas um ser crítico, que sabe o que quer e que passa e passará sempre por momentos de abalo, mas que saberá se conduzir ao melhor caminho. Mas... é muito bom buscar o lado bom de tudo! Acredite, existe!!!
Linda, que Deus esteja sempre em seu coração buscando o bonito e que goste muito, muito de você!!! A felicidade está aí dentro!!!
Te amo!!!

Rê Lopes disse...

Adorei o texto e adorei a resposta do meu irmão. Acho que quando você menos precisa de alguém é quando você pode dar certo de maneira mais...plena. Te amo irmã!

Carolina disse...

"A felicidade está dentro da gente, esperando a gente se conhecer o suficiente para se bastar, se esvaziar, para encontrá-la e se preencher dela, que estava ali o tempo todo, esperando ser aceita."

Que lindo o texto Thaís. Que bonito encontrar em você e nas suas palavras, uma inspiração e ao mesmo tempo, viver uma troca de opiniões e sensações.
De fato, há muito para pensar e refletir sobre a felicidade. Acho que ninguém é feliz sozinho. Mas também acho que ninguém dá felicidade á ninguém. É uma construção interna, que precisa dos outros para se completar mas que não é feita dos outros. Acho que precisamos criar espaços para sermos felizes e aceitar que a felicidade pode ter várias formas, diferentes em cada fase da vida.

Muito obrigada pela inspiração. Um dia feliz pra vc! Uma boa semana e até breve. Voltarei para ler mais.
Beijos

Anล Kลtเล disse...

Eu acho que a gente já nasce feliz, aí vão acontecendo alguns fatos que nos deixam para baixo... Mas aí a gente supera tudo isso e volta a ser feliz. MENTIRA... Mas deveria ser assim! Só que cada um tem o seu jeito de ser feliz, e aí é q mora o perigo... Uns só são felizes se tiverem dinheiro, ou se tiverem bens e por aí vai... Eu procuro ver a felicidade nas coisas mais simples da vida... Tenho sonhos a realizar, mas, se hj vc me perguntar se sou feliz, responderia q sou sim! Bjooooooooooo...