quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Apenas uma reflexão...

Já tentei deixar coisas pela metade...
Já tentei esquecer de pessoas queridas.
Já tentei amar mais ou menos, me entregar mais ou menos...

Mas, se tem alguma coisa que realmente sempre fica pela metade, é quando eu resolvo trilhar este caminho...

Sempre volto atrás para fazer aquilo a que me propus, é uma exigência minha para mim mesma.
Quando tentei esquecer pessoas queridas, descobri que parte delas era parte de mim.
Quando tentei racionalizar o amor, me vi incapaz de amar, e que a intensidade que eu preciso da vida jamais me permitiria ser feliz assim.

Já andei muitos caminhos, já deixei todos eles.

Mas hoje, já não sou mais uma apostadora da vida. Aprendi a respeitar que sou intensa, mas também aprendi que devo andar com os pés no chão. Saber tudo o que se quer, tudo o que se é, é maravilhoso. Mas ainda melhor é saber tudo o que você não é, e que te tornaria melhor se passasse a ser.

Desejar progredir, saber ouvir, saber mudar quando preciso, ou quando conveniente: isto sim é algo que eu preciso aprimorar. Às vezes é necessário ser menos “eu” para ser um “eu” melhor.

Muitas vezes a certeza dos nossos pensamentos, sentimentos, a certeza que formamos sobre nós mesmos, ajuda. Mas, muitas outras vezes, atrapalha. É preciso abandonar esta certeza absoluta de si mesmo e se encarar como alguém em construção. É preciso ter coragem para mudar pelo caminho, é preciso ter força para assumir quando mudar de opinião. Coerência não é ser para sempre o mesmo, mas ser mais do mesmo ainda que em constante transformação.

Que todos nós possamos alcançar o equilíbrio e a sabedoria para saber quando fincar o pé sobre quem somos, e quando questionar as nossas próprias ações.

É isso.

Amigos, tem selo novo que ganhei neste link: http://talves02.blogspot.com/p/selos.html


12 comentários:

Sandro Ataliba disse...

Belíssima reflexão, amor. Me lembrou aquela velha máxima: "quando achamos que sabemos tudo, e quando mais temos o que aprender." Evoluir sempre, pois nesta vida sempre estaremos em construção.
Amo demais!

Nanda disse...

Olá!
Gostei muito desse teu texto, eu vivo deixando coisas pra trás e qdo volto pra buscá-las nem sempre acho.

Sobre os meus textos, eu tenho um defeito: transparente demais! E isso inevitavelmente se aplica nos meus textos...

Um grande beijo!!!
Ah, achei o blog do seu marido por acaso!
;)

Carla Fernanda disse...

É preciso tanta coisa para viver com verdade...
Belo texto Thaís!
BJ

Luna Sanchez disse...

Thaís, não conseguir deixar de ser inteiro é uma grande vitória, tenha a certeza.

Um beijo, flor.

Almir Ferreira disse...

É mesmo muito difícil aprender a não ter certeza de nada, até de quem somos, nos desapegar de nossas ideias pré-concebidas para confrontá-las com novas ideias, novas perspectivas. Não que as novas ideias necessariamente sejam as melhores, mas não custa nada conhecê-las, investigá-las e se for o caso, admitirmos que precisamos nos reciclar sobre tal ou qual questão. Como você diz, "é isso", rsrs.

Ainda estou abismado que tenha tido peito de ler aqueles meus dois posts gigantes de uma vez só! rsrs. Merecia um prêmio rsrs.

Grande beijo,
Almir Ferreira
Rama na Vimana

Ivan disse...

Às vezes é necessário ser menos “eu” para ser um “eu” melhor.

Essa frase é genial! Genial!!!

Não existe perfeição. Algumas características nossas são qualidades em alguns momentos e defeitos em outros. Quando essa característica não vem bem a calhar é q essa frase se encaixa perfeitamente.

Abraço

Gisley Scott disse...

Reciclar é sempre preciso.Não é preciso mudar a essência de quem somos,mas é de suma importância buscar o aprimoramento sempre.

Penso nisso como um livro.Ele não muda o conteúdo, mas a edição moderna é melhor e vem com coisas diferentes.

Acho que quando a gente pára de reciclar, a gente fica rabujento, engessado e se acha dono de todo o saber.Perigoso isso!

Bjos!

Carla Fernanda disse...

Thaís querida bom domingo e abraços para você e o Sandro!!
Carla

Indy. disse...

Belíssimo texto... Gosto daqui, porque de uma forma esquisita eu leio seus textos e sinto a continuidade do meu ser... É que eu aprecio e super concordo com quase todas as formas como você escreve e pensa! :]

bj,flor.

Indy. disse...

Belíssimo texto... Gosto daqui, porque de uma forma esquisita eu leio seus textos e sinto a continuidade do meu ser... É que eu aprecio e super concordo com quase todas as formas como você escreve e pensa! :]

bj,flor.

Camila Monteiro disse...

É, acho o seguinte.
Morno não vale, tem que ser quente ou frio de uma vez!
Lindo post novamente! Adorei!

J Araújo disse...

Thaís, seu blog é lindo. E clro, os posts também.

Bj